Blog

Fique por dentro

África do Sul: conhecida como Nação Arco-Íris

África do Sul: conhecida como Nação Arco-Íris

A África do Sul não é conhecida como Nação Arco-Íris por acaso. Os contrastes das cores vão além da fauna e flora de fama global: são 11 as línguas oficiais do território, com o inglês assumindo posição de destaque na comunicação tanto entre as diversas etnias do país como também na hora de atrair estudantes estrangeiros, que chegam aos milhares – mais de 10 mil, segundo os números oficiais de 2018 – para estudar o idioma por lá.

As melhores escolas de inglês do país estão sob a tutela da Education South Africa (EduSA), a associação nacional responsável por desenvolver e manter padrões de qualidade visando o bem-estar de alunos estrangeiros. A força da instituição é tamanha que, em 2018, a EduSA e suas associadas foram reconhecidas como “colégios privados” depois de longos anos de disputas com o governo sul-africano. Em termos práticos, isso significa que agora é possível aplicar para o visto de estudante na hora de fazer um intercâmbio linguístico – e, com isso, garantir uma estadia superior a 90 dias com apenas um processo burocrático.

Cape Town, a cidade mais antiga da África do Sul, é onde está concentrado o maior número de centro de idiomas credenciados pela EduSA. Mas considere a chamada Cidade Mãe também para uma temporada universitária. A Universidade de Cape Town é a melhor do continente africano, de acordo com o Times Higher Education World University Rankings 2019, além de ser a única a figurar entre as 500 melhores do mundo. Fundada em 1829, diz muito o fato de 18% do corpo estudantil – ou seja, quase 1 a cada 5 alunos – ser de estrangeiros.

Em meio ao peso histórico de Robben Island, a ilha onde 3 ex-presidentes – incluindo Nelson Mandela – cumpriram pena sob o regime de segregação racial do apartheid, e as belezas naturais proporcionadas pelas águas do oceano Atlântico e pela imponente Table Mountain, Cape Town tem toda a intensidade e potência cultural, social e gastronômica de uma grande metrópole. Prova disso é que a cidade foi eleita em 2018 pelo jornal britânico The Telegraph (pela sexta vez consecutiva!) como a melhor do mundo para se visitar.

Ainda não se convenceu em colocar a África do Sul em sua rota de intercâmbio? Pois há mais um fortíssimo argumento: o câmbio. O rand, a moeda local, é bastante desvalorizado em relação ao real – R$ 100 equivalem a R 375, o que quer dizer que o seu custo de vida no país tende a sair muito mais em conta do que outros destinos. Boa viagem!

Para ler antes de embarcar
O Clube do Bangue Bangue, de Greg Marinovich e João Silva
Os fotógrafos, que ganharam diversos prêmios pelo trabalho na África do Sul, relatam a cobertura e os dilemas dos conflitos nos últimos anos do sistema de apartheid.

Para ver de perto
Big Five, no Kruger Park
Leões, elefantes, rinocerontes, búfalos e leopardos: os 5 animais-símbolo da vida selvagem da África do Sul estão à sua espera ao se fazer um safári no maior parque nacional do país.

Infográfico

As melhores cidades do mundo para se visitar:
1° – Cape Town (África do Sul)
2° – Tóquio (Japão)
3° – Vancouver (Canadá)
27° – Rio de Janeiro (Brasil)

 

 

 

 

Artigos relacionados

Relatos de quem já fez intercâmbio

Um intercâmbio serve a vários propósitos. Descubra qual é o seu a partir dos relatos de quem...

Continue lendo

França: destino turístico mais popular do mundo  

Gastronomia internacionalmente reconhecida, monumentos dignos de cartão-postal, grifes de moda...

Continue lendo

Chile: destino mais prático para quem deseja ampliar o conhecimento na língua espanhola 

“Oh, Chile, grande pétala de mar, vinho e neve”. As palavras do poeta Pablo Neruda sobre sua...

Continue lendo

Junte-se à discussão

Eu Fui!

Veja abaixo a opinião de quem já viajou com as associadas Belta.

X