Blog

Fique por dentro

Belta participa de feira virtual de intercâmbio no próximo dia 24 de março

Belta participa de feira virtual de intercâmbio no próximo dia 24 de março

Com ingresso gratuito e exclusivo para brasileiros, a feira internacional de educação acontece no dia 24 de março (quarta-feira), das 16h às 20h, na plataforma da The Student World Virtual Fair, a maior do mundo no segmento de intercâmbio. Estudantes e profissionais de todo o Brasil poderão passear por estande da Belta que estará representando as agências de intercâmbio Selo Belta. Os visitantes encontrarão todas as informações necessárias para a sua viagem de estudos, em todas as modalidades de cursos. Mesmo após a pandemia, a marca global gigante no setor de intercâmbio decidiu seguir realizando as suas feiras em plataforma virtual. A tecnologia desenvolvida por eles recria o ambiente de feira presencial.

  • Para participar basta ter um computador ou smartphone ligado à Internet e, em poucos cliques, os visitantes poderão interagir durante quatro horas com agências governamentais, escolas de idiomas e representantes de 87 instituições de ensino de 14 países. As inscrições gratuitas podem ser feitas pelo link https://thestudent.world/brazil/pressbr
  •    Na plataforma virtual será possível  encontrar informações sobre todas as modalidades de cursos (idiomas, high school, graduação, pós, mestrado, doutorado, MBA e técnicos).
  •    Os países mais procurados pelos brasileiros para intercâmbio, segundo a pesquisa BELTA 2020, estão confirmados para o evento. São eles: Canadá, Estados Unidos, Reino Unido e Austrália. Também participam da feira: Espanha, Alemanha, Dinamarca, Holanda, Itália, Portugal, República Tcheca, Suécia, Japão e Coreia do Sul.
  •     A tecnologia desenvolvida pela FPP EDU Media desde 2015 é única no setor de intercâmbio e está possibilitando fomentar o segmento e o sonho de profissionais e estudantes que buscam qualificação e novas vivências no exterior.

Com experiência de 22 anos em feiras presenciais, realizadas até o início da pandemia, em 50 cidades de todos os continentes, o CEO da empresa, Sebastian Fernandes, diz que o formato virtual chegou para ficar. “O modelo conquistou a preferência dos estudantes e das instituições de ensino pelo acesso “mais democrático”, crescimento da participação de escolas de idiomas e universidades, além dos benefícios de praticidade, segurança, conforto e redução de custos”, explica.

Para Fernandes, quanto mais longa a pandemia mais cresce a vontade das pessoas de buscar experiências em um outro país. “No ano passado realizamos uma pesquisa com 4,5 mil estudantes brasileiros e 83% deles disseram que seguem com os planos de estudar no exterior, mesmo que tenham que adiar a data de início”, diz.

“A feira virtual que vamos realizar no dia 24 é uma oportunidade feita sob medida para atender essa demanda. A plataforma foi pensada detalhadamente para que os visitantes possam realmente ter a experiência de passear por uma feira, sem sair do conforto da sua casa.

Eles terão a oportunidade de interagir durante quatro horas com quase 90 instituições de ensino de diferentes continentes. Essas instituições estarão online, ao mesmo tempo, em um único lugar para conversar por texto, áudio ou vídeo com pessoas de qualquer parte do Brasil.

Enquanto nas feiras físicas muitas vezes há uma “briga” por espaço nas filas dos estandes e barulhos de outras conversas que podem atrapalhar, na The Student World Virtual Fair essas conversas serão privadas e personalizadas, facilitando a interação e o esclarecimento de dúvidas. Não existe nada parecido em nosso segmento. O ambiente é fácil de navegar, amigável e tem um design muito atraente”, conclui Fernandes.

Para a diretora executiva da BELTA (Associação Brasileira de Agências de Intercâmbio), Maria Eglantine Gabarra, também com presença confirmada no evento, “o estudante quer fazer o seu curso presencial, pegar o avião. Mas a pesquisa por meio de feiras virtuais é uma tendência sem volta, mesmo quando a pandemia acabar, pois é muito prático, reduz custos e fica mais organizado. No virtual, as pessoas não ficam sem respostas, já no presencial, pela alta procura nos estandes, isso acaba acontecendo”.   

O carioca Felipe Nascimento, de 27 anos, já definiu o planejamento do seu intercâmbio no Canadá em 2025. “Após minha participação na última feira, cinco universidades entraram em contato comigo, mas me identifiquei mais com a Halifax Language Institute of Canada. Estou fazendo meu planejamento dentro do que eles me propuseram. Desde pequeno sempre quis morar lá. Me identifico com a cultura e a forma de vida do país”, conta.

Segundo ele, a experiência no formato virtual da The Student World foi “fenomenal”. “Fui muito bem recebido e atendido na feira e consegui sanar todas as minhas dúvidas. Nas presenciais perdia tempo indo de um estande para o outro para fazer as perguntas, esperar ser atendido. Na virtual, enquanto estou conversando com um estande, posso ir a outro, não preciso ficar parado aguardando a minha vez. Na última feira fui em quatro estandes ao mesmo tempo e consegui ser atendido em todos. Conversei com a embaixada sobre questões de visto e com as universidades. Essa é a grande vantagem do virtual. E após a feira, as instituições permaneceram em contato comigo, tive acesso aos links das próprias universidades, a informação não se perdeu em nenhum momento. No pós-pandemia quero estar pronto com as questões de visto, reservas financeiras e com a parte psicológica para enfrentar a mudança radical de um país para outro.”

Já o foco da paulista Caroline Silva Rossetto, de 25 anos, de Mogi Mirim, nos próximos dois ou três anos é fazer um pós-graduação em Linguística na Europa. Ela já fez um curso intensivo de inglês na Universidade de Cambridge, no Reino Unido, e agora busca aperfeiçoamento profissional na Irlanda, Inglaterra ou no Canadá. Caroline tem experiência nos modelos presenciais e virtuais, aprecia os dois, mas reconhece vantagens nas pesquisas em plataforma on-line. “Na virtual temos acesso a uma feira maior e eu consegui salvar todos os documentos necessários. Encontrei tudo que procurei e esclareci todas as minhas dúvidas, achei super organizada. É mais prática e segura por conta da pandemia. Tive também uma abertura para novos conhecimentos, porque descobri informações que antes eu não conhecia”, explica.                  

SERVIÇO

O QUÊ: Feira Virtual de Intercâmbio The Student World

QUANDO: 24 de março (quarta-feira), das 16h às 20h

QUANTO: Entrada franca

INSCRIÇÕES E MAIS INFORMAÇÕES:  https://thestudent.world/brazil/pressbr

TUTORIAL PARA PARTICIPAR DA FEIRA: https://www.youtube.com/watch?v=1d4NBKYAzqs    

                                                     Depoimentos  

FELIPE NASCIMENTO, 27 anos, Rio de Janeiro 

“A participação na feira durante a pandemia no ano passado fez com que tivesse outra visão sobre o planejamento da minha viagem. Percebi que teria que ter uma base mais forte para conseguir alcançar meus objetivos, então defini uma meta e organizei um plano. Dentro de cinco anos, quero fazer um intercâmbio de, no mínimo, três meses no Canadá. Sou formado na área de saúde, mas atuo em hotelaria. Tenho esses dois lados na minha vida, mas nas duas últimas feiras que participei foquei em programas de extensão na área de hospitalidade, com ênfase em hotelaria e gastronomia. Após minha participação na última feira, cinco universidades entraram em contato comigo, mas me identifiquei mais com a Halifax Language Institute of Canada.  Estou fazendo meu planejamento dentro do que eles me propuseram. Desde pequeno sempre quis morar lá. Me identifico com a cultura e a forma de vida do país.

A feira trouxe foco ao meu objetivo, deu um bom embasamento de qual caminho devo seguir. No pós-pandemia quero estar pronto com as questões de visto, reservas financeiras e com a parte psicológica para enfrentar a mudança radical entre um país e outro. Já participei de feiras de intercâmbio presenciais e virtuais e acho as virtuais mais acessíveis. Fui muito bem recebido, atendido e consegui sanar todas as minhas dúvidas. Uma experiência fenomenal. Nas presenciais perdia tempo indo de um estande para o outro para fazer as perguntas, esperar ser atendido. Na virtual, enquanto estou conversando com um estande, posso ir a outro, não preciso ficar parado aguardando a minha vez.

Na última feira virtual que participei fui em quatro estandes ao mesmo tempo e consegui ser atendido em todos. Conversei com a embaixada sobre questões de visto e com universidades. Essa é a grande vantagem do virtual. E após a feira, as instituições permaneceram em contato comigo, tive acesso aos links das próprias universidades, a informação não se perdeu em nenhum momento, ficaram disponíveis enquanto eu tive dúvidas. Nas feiras presenciais, muitas vezes os contatos se perdiam e algumas informações ficavam vagas.

CAROLINE SILVA ROSSETTO, 25 anos, São Paulo 

“Antes de participar da The Student World no ano passado, já participei de uma presencial aqui na minha cidade, em Mogi Mirim. Fui lá, conversei em inglês, assisti palestras, peguei folhetos, foi uma interação boa. Já no formato virtual tivemos acesso a uma feira maior e eu consegui salvar todos os documentos necessários. Encontrei tudo que procurei na plataforma e esclareci todas as minhas dúvidas, achei super organizada. É mais prática e segura por conta da pandemia. Além disso, como moro no interior de São Paulo, é econômico participar desta feira em formato virtual. Tive também uma abertura para novos conhecimentos, novos horizontes, porque eu descobri informações que antes eu não conhecia.

Já fiz intercâmbio em Cambridge, no Reino Unido, fui fazer um curso intensivo de inglês. Fiquei um mês em casa de família e retornei ao Brasil para me formar. Meu próximo intercâmbio será, provavelmente, para fazer pós-graduação. Eu fiz Letras-Português/Inglês pela PUC e o meu objetivo é permanecer nesta área. Quero estudar na Europa, na Irlanda ou Inglaterra, ou no Canadá. Provavelmente, farei o próximo intercâmbio entre 2023 e 2024, pois tenho que fazer o CAE (Cambridge English-Advanced), mas ainda não tenho datas definidas porque está tudo muito incerto no Brasil. A gente depende de outros lugares e de outros processos e por conta da pandemia está tudo mais devagar.”

Vantagens de uma feira de intercâmbio virtual

No conforto do lar: Os estudantes podem interagir com instituições do mundo inteiro sem sair de casa.

Acesso à todas as cidades brasileiras: Possibilitam a participação de estudantes de todo o país, não somente daqueles que vivem nas grandes capitais.

Segurança à saúde: Em tempos de pandemia e distanciamento social, a feira online é a opção ideal.

Economia de tempo e dinheiro: Não é necessário deslocamento, enfrentar filas, ter gastos com passagens, hotéis, alimentação.

Presença maior de escolas e universidades: Sem custos de viagens ao Brasil e acesso a um maior número de estudantes, as instituições aumentaram o interesse em participar da feira.

Agilidade e acesso à informação: É possível realizar buscas de acordo com o tipo de instituição, sua localização e programas oferecidos, o que torna a experiência mais ágil e produtiva. É possível também enviar e fazer downloads de fotos, vídeos, links e documentos informativos mais completos. Além disso, os estudantes podem participar de chamadas de áudio e vídeo particulares e “ao vivo” com os representantes de instituições do mundo inteiro e agências de governo.

Organização da informação: Os estudantes podem favoritar as instituições e programas que mais interessam, organizando suas listas para consultas posteriores e tomada de decisão.

Acesso a informações pós-evento: Todas as conversas que os estudantes realizam com as instituições por meio da plataforma ficam salvas e podem ser acessadas futuramente por eles para lembrança de pontos importantes e compartilhamento.

Redução do impacto ambiental (eco-friendly): Eventos online economizam recursos naturais e reduzem os impactos no meio ambiente, uma vez que diminuem a quantidade de papel distribuído e a emissão de gases. Não são necessários a produção de materiais gráficos e de comunicação visual, o deslocamento de expositores e visitantes, a geração de lixo.         

Artigos relacionados

Os destinos já estão recebendo brasileiros para estudar no exterior?

Confira abaixo os principais destinos para a realização de sua viagem no exterior e como está...

Continue lendo

Flywire expande negócios de pagamentos de educação digital na América Latina

Estende os recursos de pagamento digital a um número crescente de alunos latino-americanos que...

Continue lendo

Artigo: Como a MPS ajuda os alunos com aplicações universitárias e suas escolhas de carreira?

Por: Merrick Preparatory School A partir de uma primeira introdução dos alunos à Escola...

Continue lendo

Junte-se à discussão

Eu Fui!

Veja abaixo a opinião de quem já viajou com as associadas Belta.

X