Blog

Fique por dentro

Escolher destino menos popular pode melhorar custo-benefício do intercâmbio

Escolher destino menos popular pode melhorar custo-benefício do intercâmbio

Malta aparece como um dos destinos novos mais procurados por intercambistas para aprender inglês. O país é uma ilha de colonização inglesa, que fica no Mediterrâneo, ao sul da Itália Wikimedia Commons
Planejar um intercâmbio em países ou cidades menos “tradicionais” e com menor procura de estudantes pode melhorar o custo-benefício da experiência — em preço e em aproveitamento da cultura local e contato com habitantes nativos. Essa é a aposta das agências de intercâmbio.

Exemplos disso são Malta, África do Sul e China, que passaram a ser procurados por brasileiros para o aprendizado de inglês nos dois primeiros casos e de mandarim no último. A informação é de uma pesquisa realizada pela Belta (Associação Brasileira de Organizadores de Viagens Educacionais e Culturais).

“Malta e África do Sul estão em uma curva bem crescente pelo fato de muitas pessoas ainda precisarem aprender o inglês”, afirmou a gerente comercial da agência Experimento, Emília Miguel. Segundo ela, a escolha é “fácil” por causa dos preços mais em conta que os tradicionais Canadá, Estados Unidos e Reino Unido. No caso de Malta, explica Emília, existe ainda a vantagem de estar na Europa e facilitar o turismo no Velho Mundo.

Já o interesse pela China se dá por conta de seu gigantismo — e das possibilidades de novos mercados e negócios que o país pode oferecer. Segundo Emília, esses estudantes “já falam bem inglês e querem arriscar aprender outras coisas”.

Cada um dos destinos têm vantagens e desvantagens — na África do Sul , por exemplo, ainda há marcas do apartheid e relatos de violência urbana nos grandes centros. Antes de se decidir, convém que o intercambista faça uma boa pesquisa.

Cidades diferentes em países tradicionais
“Aconselho também países tradicionais como Inglaterra, Austrália e Estados Unidos, mas em cidades diferentes [menos procuradas para intercâmbio de idiomas]. Na Austrália, por exemplo, a gente encontra escolas fantásticas na Tasmânia, inclusive para High School (ensino médio)”, afirmou Carlos Robles, presidente da Belta.

A gerente de produtos da agência de intercâmbio CI, Luiza Vianna, acredita que existe uma preocupação dos estudantes de ir para lugares com menos brasileiros, o que não acontecia tanto antes. “Ao escolher uma cidade como Bristol, na Inglaterra, você tem menos brasileiros [do que em Londres, por exemplo] e tem uma experiência muito mais autêntica do cotidiano e do povo inglês”, disse Luiza.

“Dependendo da cidade, o bacana é que as pessoas são muito mais acolhedoras. Em algumas cidades que não são acostumadas com tanto turismo, como Edimburgo — que não é uma cidade pequena, mas não está na rota de turismo –, as pessoas param na rua e te ajudam”, disse a gerente da CI.

Escolha tem relação com perfil do estudante
De acordo com Carlos Robles, o custo-benefício de ficar em uma cidade pequena nos países tradicionais é bem melhor. “Com um custo de vida mais barato, o estudante economiza e pode fazer outras coisas”, orienta.

Outra vantagem de ir para um país que ainda não seja tão procurado para intercâmbio, segundo o presidente da Belta, é que geralmente eles estão tentando entrar nesse mercado e, por isso, irão fazer mais ofertas e oferecer grandes vantagens.

“Sempre aconselho o pessoal a optar por home stay [moradia em casa de família], pois permite que você se integre com a cultura, converse com alguém que mora no país, que é um cidadão de lá. Sempre fico em casa de família, você sai, conhece os amigos deles e ele podem te dar dicas até sobre onde comprar mais barato”, contou Robles.

O presidente da Belta acredita que, mesmo com todos os outros fatores, a escolha do destino tem relação direta com o perfil do estudante: “Acho que o perfil de cada um já é mas ou menos definido.

Quem busca Nova Iorque ou Los Angeles não é o mesmo que vai buscar China ou Austrália — ou é quem já fez [intercâmbio] e busca novas alternativas.”

Fonte: UOL Educação

Artigos relacionados

A MAIOR FEIRA DO BRASIL SOBRE OPORTUNIDADES DE ESTUDOS NO REINO UNIDO JÁ TEM DATAS CONFIRMADAS PARA 2019. INSCREVA-SE!

As universidades britânicas são conhecidas por aliar a tradição acadêmica aos métodos mais...

Continue lendo

São Paulo recebe 3ª edição da Feira Trabalhar & Estudar no exterior

Organizado pela CI Intercâmbio e Viagem, evento focado em trabalho e estudo fora do Brasil reúne...

Continue lendo

Belta participa da EduExpos, maior feira de intercâmbio!

Os interessados em estudar no exterior têm duas ótimas feiras para visitar em setembro. A...

Continue lendo

Junte-se à discussão

Eu Fui!

Veja abaixo a opinião de quem já viajou com as associadas Belta.

X