Blog

Fique por dentro

Intercâmbio Voluntário: uma maneira de mudar o mundo

Intercâmbio Voluntário: uma maneira de mudar o mundo

Embarcar em um intercâmbio voluntário exige bem mais que um inglês intermediário; é preciso ter foco, força de vontade e instinto solidário a fim de ajudar comunidades, animais e pessoas de outros lugares do mundo a viver melhor. Além da África do Sul, muitos outros destinos, como Argentina, Bolívia, Canadá, Chile, Colômbia, Equador, Espanha, Guatemala, Índia, México, Nepal, Peru, Sri Lanka, Tailândia e Vietnã, oferecem esse tipo de oportunidade que mescla intercâmbio educacional e ação social, cada país com seus projetos específicos.

“A África tem um diferencial nos projetos de preservação da vida animal, e existem muitos projetos para essa área específica. A Namíbia tem um projeto médico, ideal para estudantes na área de Medicina; a Tailândia e o Sri Lanka possuem projetos em que o voluntário ensina Matemática, Inglês e Arte para monges. Já no Nepal, na Índia e no Vietnã foca-se mais nos projetos sociais com crianças e idosos”, diz Eduardo Heidemann, diretor da Agência Selo Belta Travelmate.

Estima-se que o trabalho voluntário movimento por ano cerca de 140 milhões de pessoas em todo o mundo. O dado faz parte do Relatório sobre o Estado do Voluntariado no Mundo da Universidade John Hopkins (EUA). divulgado em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e com o Programa de Voluntários das Nações Unidas.

De forma geral, os projetos são concentrados em trabalhos com crianças carentes, idosos, comunidades, saúde e animais. Todos exigem que o estudante tenha nível intermediário do idioma. Caso não tenha, o aluno pode mesclar estudo e voluntariado, como estudar pela manhã e fazer o projeto de voluntariado à tarde. Outros, por exigir mais horas de envolvimento do voluntário durante o dia, requerem que o aluno estude nas primeiras semanas o idioma local e na segunda parte do programa inicie o trabalho voluntário.

A experiência é válida para o currículo do estudante. “Além do conho socioambiental e colaborativo da proposta desse tipo de intercâmbio, o participante ainda tem a possibilidade de valorizar o currículo ao acrescentar nele uma experiência desse tipo” diz Carolina Luciano, coordenadora de Marketing da Agência Selo Belta Intercultural.

Nesse tipo de intercâmbio, o estudante consegue desenvolver inúmeras habilidades, como flexibilidade, independência, responsabilidade, autocontrole, visão de undo e outras que tornam o um profissional ainda mais completo para o mercado de trabalho.

Se você for investir nesse tipo de experiência, saiba que o tempo mínimo é de duas semanas e não existe um período máximo. Dependendo do destino escolhido o voluntariado, você terá que conseguir um visto, embora haja países que só exijam visto caso o trabalho voluntário ultrapasse 90 dias. Uma Agência Selo Belta poderá orientá-lo na escolha.

Artigos relacionados

Como aplicar para o CAQ no Quebec

A Hermes Colleges Network (HCN Inc.) preparou um passo a passo para você aplicar para o CAQ no Quebec!!

Continue lendo

Novidades da Study Melbourne para 2022

Saiba mais sobre as novidades de Melbourne na Austrália, bem como condições de bolsas.

Continue lendo

Eu Recomendo!

Aprender um novo idioma é o principal motivo que leva alguém a fazer um intercâmbio. Veja quem foi se aprofundar em uma das setes línguas mais populares entre os brasileiros* para saber como é a imersão total onde elas são faladas todos os dias!

Continue lendo

Junte-se à discussão

Eu Fui!

Veja abaixo a opinião de quem já viajou com as associadas Belta.

X