Blog

Fique por dentro

Por que o mundo se vira para os Estados Unidos quando o assunto é educação?

Por que o mundo se vira para os Estados Unidos quando o assunto é educação?

Nenhuma nação no globo tem tanto apelo com estudantes quantos os Estados Unidos. Os números não mentem: de acordo com dados do relatório Open Doors de 2018, quase 1,1 milhão de pessoas passaram pelo país para dar início ou continuidade aos estudos universitários por lá – o Brasil é o 10° maior emissor de estudantes nesse segmento, mas sobe para a 5° posição quando o assunto é a busca de programas intensivos de inglês.

Para o aprendizado da língua, os destinos preferidos para os estudantes estrangeiros são a Califórnia, Nova York e Texas – na verdade, 1 a cada 3 intercambistas, cujo foco de estudos é o inglês, acabaram indo parar nesses estados no último ano. Mas se a sua intenção é um diploma universitário, as opções são imensas: o país conta com mais de 4.700 instituições de ensino superior espalhadas pelo seu território, o 4º maior do mundo em extensão.

Por que o mundo se vira para os Estados Unidos quando o assunto é educação? O fato das quatro melhores universidades do mundo – Massachusetts Institute of Technology (MIT), Universidade de Stanford, Universidade de Harvard, California Institute of Technology – estarem por lá, de acordo com o QS World University Rankings 2019, é um sinal. Em todos os rankings, os EUA contam com a maior quantidade de instituições no top 200. Outro indicativo dos efeitos práticos da educação americana é a quantidade de laureados pelo prêmio Nobel no país: 377, mais do que a soma de todas as outras nações já premiadas.

De cursos de inglês à titulação de PhD, passando por programas de high school e de temporadas de férias, todo tipo de intercâmbio pode ser contemplado nos EUA. Se estiver no país para estudar, não deixe de dar uma passada – ou até mesmo de frequentar as salas de aula – de Miami e Seattle. Com cenas gastronômicas e culturais agitadas, além de belezas naturais e construções icônicas, ambas foram apontadas pelo guia turístico Lonely Planet como parte da lista de 10 cidades que você precisa visitar em 2019.

Para ler e ouvir antes de embarcar
Bob Dylan

Lidando com temas sociais ao longo de uma carreira de mais de 50 anos, o artista foi, em 2016, o primeiro músico da história a ser agraciado com um prêmio Nobel de Literatura.

Para ver de perto

Parque Histórico Nacional das Missões de Santo Antonio, no Texas

Última adição dos EUA à lista de Patrimônio Mundial da Humanidade da UNESCO, a área é composta por construções feitas por missionários franciscanos espanhóis no século XVIII.

Infográfico
Os países com o maior número de laureados pelo prêmio Nobel:
377 – Estados Unidos
130 – Reino Unido
108 – Alemanha

 

 

Artigos relacionados

14 docentes da rede pública, de 9 Estados brasileiros, são contemplados com Bolsas de estudos para o exterior

70% das bolsas foram entregues a mulheres -Concurso contemplou docentes de inglês da rede pública...

Continue lendo

CES Schools recebe grupo de Agências Selo Belta na Irlanda

Centre of English Studies (CES) Dublin ficou encantado em receber, juntamente com a Education in...

Continue lendo

Irlanda: a oportunidade de estudar e trabalhar

Um país que deu ao mundo escritores do porte de James Joyce e Oscar Wilde, grupos de sucesso...

Continue lendo

Junte-se à discussão

Eu Fui!

Veja abaixo a opinião de quem já viajou com as associadas Belta.

X